TER RAZÃO OU SER FELIZ | POR SÓNIA SANTANA - JUST WOMAN

Trabalhar em algo que não gosta ou estar desempregado? É uma escolha que aparentemente não se coloca, com contas a pagar todos os meses, com a família a depender de todo o dinheiro que entra. Mas a verdade é que está provado que trabalhar em algo ou local que não gostamos, pode ser pior que estar desempregada. 
Tem tudo a ver com a nossa saúde mental. Cada vez mais nos apercebemos que com curso ou sem curso, muitas das vezes estamos simplesmente ao sabor das circunstâncias da nossa vida. E a verdade é que enquanto não nos rebelarmos quanto a isso, dificilmente sairemos do marasmo a que nos habituámos. O ser humano é um animal de hábitos, habituamo-nos a tudo, e pior ainda, muitas vezes preferimos escolher o que conhecemos (nem que seja uma vida de sofrimento) para não enfrentarmos o desconhecido.

Não estou aqui a advogar que se despeçam e corram de mochila às costas para a aventura, mas sim que pensem em como dar a volta por cima, introduzindo aos poucos pequenos prazeres até aqui proibidos. 

Procurem saber o que gostam de fazer (e a resposta típica do "eu gosto é de nada fazer e depois descansar das agruras do bem bom" não é admissível ;)) e vejam como aplicar na prática. Mas apliquem. Nem que para isso tenham de equilibrar durante vários meses (ou anos) as duas faces da moeda, o lado obrigatório e o lado sonhador.

Nem podem imaginar o número de oportunidades que perdem por nem tentarem porque acham que não são capazes, ou porque não têm vida ou dinheiro ou tempo, e depois vêem nas redes sociais alguém que faz aquilo que queriam fazer. Engane-se quem acha que as oportunidades são únicas ... as oportunidades surgem a todos ao mesmo tempo, só os que se atiram a elas é que as conseguem levar avante. Eu sei, vi isso acontecer diversas vezes na vida, até perder o medo de me lançar atrás do que queria.

Não é fácil, não sou rica (mas sou uma rica pessoa cheia de vivências valiosas), ando sempre a correr para cumprir com as minhas responsabilidades e o fim do mês continua a ser dramático, mas a verdade é que quem me conhece sabe que sou uma pessoa em paz com o mundo. Se sirvo de exemplo? Não, mas sirvo para aumentar as estatísticas das inúmeras pessoas que se lançam como empreendedoras atrás de um sonho.   

Por isso se têm razão em dizer que não têm vida (financeira, familiar, emocional ou social) para concretizar os Vossos sonhos, lembrem-se que ao desistir antes de tempo, amarguram a vossa existência e destroem o vosso Futuro. 

Vale a pena pensar nisto ... 


Comentários