POUPAR PARA MELHOR GASTAR

Ter um estilo de vida comedido não é ser-se forreta ou chata. Ser-se comedida significa fazer uma melhor gestão financeira e saber economizar quando se trata de utilizar os recursos (como a água, eletricidade, gás e, porque não, dinheiro), para que estes possam ser canalizados para outros aspectos da nossa vida realmente importantes.
E desengane-se se pensa que este estilo de vida é uma característica das pessoas que têm pouco dinheiro: há muita gente multimilionária que se sabe terem uma vida frugal. Já lá diz o ditado popular "poupar para melhor gastar" 

Para ser frugal, e poupar dinheiro, é importante que tenha algumas competências, por forma a evitar ter de pagar a outros para fazer determinadas tarefas, como pequenos arranjos. 

Muitas destas competências eram dominadas pelos nossos antepassados, mas lentamente foram esquecidas e hoje poucos sabem executá-las, preferindo pagar a alguém para fazê-las. Conheça sete competências que poderá adquirir para ter um estilo de vida frugal e poupar dinheiro.

1. Pequenas manutenções do automóvel
Tem uma avaria no automóvel? É melhor levá-lo à oficina. No entanto, existem pequenos trabalhos de manutenção que podem ser feitos por qualquer pessoa, desde que se predisponha a aprender, como por exemplo: mudar o óleo, avaliar a pressão dos pneus, adicionar líquidos ao limpa-vidros, verificar o nível do líquido de refrigeração, encerar o tabliêr ou mudar um pneu. São pequenos gestos que evitam danos maiores no veículo e, consequentemente, ajudam a poupar dinheiro.

2. Aprender truques de cozinha
Almoçar e jantar fora numa base diária pode “rebentar” com o seu orçamento familiar, por isso, se não é especialmente dotado nesta área, poderá esforçar-se para aprender algumas técnicas. Pouco a pouco, irá dominar as regras e tornar-se num ‘expert’. 

Algumas competências interessantes que pode desenvolver, por forma a poupar dinheiro e a utilizar melhor os recursos são: fazer o próprio pão (nem seja apenas ao fim-de-semana), conservar comida, fazer gelados, substituir ingredientes em receitas, fazer caldos para temperar comida (carne, vegetais, marisco ou peixe), reutilizar as sobras, fazer iogurte e, muito importante, aprender a cozinhar em quantidade. 

3. Saber os básicos da costura
Saber costurar é uma habilidade muito prática e útil para poupar dinheiro. Não é preciso ter conhecimentos aprofundados, mas saber as bases permite-lhe realizar alguns arranjos como remendar um par de calças, coser uma costura rasgada, pregar um botão que caiu ou arranjar um fecho estragado. 
Se estiver num nível mais avançado de costura, até poderá reutilizar roupas antigas, dando-lhe novas funcionalidades, criar itens de decoração, como cortinas, almofadas, mantas ou malas.

4. Realizar algumas tarefas de manutenção de casa
Como qualquer proprietário de casa pode confirmar, ter um imóvel implica assegurar um conjunto de encargos que vão além do custo do crédito à habitação e dos impostos. Despesas de manutenção podem aumentar o dinheiro que gasta na propriedade. No entanto, existem pequenas manutenções que poderá aprender para poupar dinheiro e ajudar a preservar o património. 
Alguns exemplos são: arranjar uma torneira a pingar, desentupir um ralo ou a sanita, calafetar uma janela ou mudar os filtros ao ar condicionado. Hoje em dia existem inúmeros canais do Youtube que ensinam a fazer estas e outras tarefas em casa, por isso, é só procurar. 


5. Utilizar cupões de desconto
É um procedimento bastante comum lá fora, mas em Portugal ainda não é tão usado como poderia. É possível poupar bastante dinheiro nas compras, através dos cupões e vales de desconto onde consegue obter descontos reais, que têm um grande impacto na factura das compras no supermercado, mas é um trabalho minucioso, que requer pesquisa e organização. 

No entanto, se perguntar a alguém que tenha este hábito, não tardará a confirmar que compensa. Assim, algumas competências que as pessoas frugais têm, e todos deveriam aprender, são: 
  • organizar cupões de desconto (por data, artigos e desconto);
  • saber utilizá-los na altura certa (é possível maximizar o desconto, se utilizar os cupões em alturas de promoções dos supermercados), 
  • organizar a despensa e o frigorífico e 
  • fazer ‘stock’. 

6. Fazer um orçamento familiar
Um orçamento familiar bem elaborado é uma ferramenta essencial para quem vive uma vida sem grandes luxos, uma vez que permite seguir o rasto às suas despesas, assegurar que está a poupar, ao mesmo tempo que sabe se está a gastar demasiado dinheiro em coisas superficiais, em vez de estar a poupar para as coisas que realmente lhe importam. Desde apps a guias de como fazer um orçamento, de tudo encontra na web, é só uma questão de procurar. 


7. Fazer uma horta em casa
Cultivar alguns legumes num quintal (ou numa varanda, se não houver espaço) é uma boa forma de consumir produtos frescos, de qualidade, e poupar dinheiro. Se vai dar os primeiros passos, comece pelas plantas aromáticas porque são mais simples de manter. Posteriormente, quando tiver mais experiência, pode passar para outro tipo de hortícolas, como alface, espinafres, rúcula ou rabanetes.


Comentários