CUIDADOS ALIMENTARES DURANTE UMA PEREGRINAÇÃO | POR NUTRICIONISTA TERESA MARIANO


Antes de mais, importa recordar que os cuidados com a alimentação devem fazer parte da rotina diária e não pontualmente nestas situações. No entanto, se tem programado fazer uma peregrinação e tem dúvidas sobre o que transportar consigo para que a energia não falte, seguem então algumas ideias:


1 – começando pela hidratação, a água deve ser a bebida de eleição, consumindo diariamente 1,5-3L por dia. Durante a caminhada vá ingerindo pequenas quantidades, para se manter hidratado, não espere por sentir sede, a necessidade de reposição de líquidos ocorre antes dessa sensação. Uma boa hidratação é fundamental e imprescindível para que os músculos cumpram a sua função. Deve também seguir o conselho de evitar bebidas alcoólicas ou açucaradas, quer antes ou durante a caminhada, de forma a evitar a desidratação do organismo. Uma boa sugestão, caso não seja apreciador de água pode ser optar por fazer infusões (sem açúcar) ou águas aromatizadas previamente preparadas com especiarias e /ou cascas de fruto;

2 – nos dias que antecedem uma actividade deste género o descanso é crucial e uma boa alimentação, nutricionalmente equilibrada sem restrições ou excessos, também pode ajudar a que durma melhor;

3 – a refeição principal que antecede este percurso pedestre  deve ser rica em hidratos de carbono, por exemplo consumir massa, caso seja um almoço ou um jantar, ou consumir pão de mistura, se for uma refeição intermédia;

4- durante o percurso deve tentar respeitar as refeições principais do almoço e do jantar, aproveitando para durante os períodos de repouso mais extenso ingerir algo quente e mais consistente a nível nutricional. Aqui e caso tenha apoio de um carro, pode optar por uma refeição quente, a sopa vem sempre a calhar, ainda para mais se for durante o período da noite. Há também receitas que dão para adaptar para este fim, tendo em conta que depois de preparadas mantêm a consistência e o paladar. O recurso a termos para acondicionar estas refeições, pode ser uma solução para que permaneçam mornas;

5 – os snacks devem ser reservados para serem ingeridos ao longo do percurso, durante o mesmo ou em paragens mais rápidas;

6 – os frutos gordos, por serem ricos em gordura, como o próprio nome indica devem ficar reservados para reforçar a energia das refeições principais, podendo ser consumidos em saladas, fazendo combinações nutricionais bastante interessantes. O facto de serem muitos ricos em lípidos, faz com que possam atrasar o esvaziamento gástrico retardando a digestão, o que durante o percurso da caminhada, caso esta continue logo seguida à refeição, faça com que não se sinta tão bem. Amêndoas, nozes, cajus, avelãs, são alguns dos exemplos, nas variedades neutras: sem sal e sem gordura extra (fritos);

7 – as saladas, enriquecidas com alguma fonte proteica: ovo, frango, pescada, atum, camarão, como alguns exemplos, podem também ser uma boa alternativa. Caso se faça acompanhar de uma mochila, transporte-as acondicionadas dentro de frascos de vidro ou caixas de plástico, optando por colocar os temperos na base do frasco, perto dos produtos hortícolas que não alteram a consistência na presença destes, na hora de comer é só virar o frasco e todo o conteúdo fica temperado;

8- não esquecer algumas peças de fruta para ir ingerindo ao longo do percurso, durante as pequenas refeições é um excelente truque. Ajudam a restabelecer energia o que deve acontecer pelo menos de 90 em 90 minutos ou de 120 em 120;

9- barras de cereais com chocolate preto, fruta seca (passas de uva, tâmaras, alperces, etc.), ou frutos gordos, podem e devem fazer parte da “dispensa” de qualquer peregrino, servem como fonte de energia rápida e muitas vezes podem ser bastante úteis em percursos mais duradouros e longínquos. Optar por levar um chocolate negro, com teor de cacau superior ou igual a 70% é outra boa opção, desde que a temperatura ambiente seja favorável a isso. Algumas sandes de pão de mistura enriquecidas com alimentos proteicos e até com produtos hortícolas, podem também fazer parte das refeições intermédias;

10- outra opção é optar por levar alguns suplementos alimentares normalmente destinados a praticantes de desporto, o que nestas situações podem passar a ser excelentes aliados, dependendo da distância e duração do percurso.
Caso opte por fazer as suas refeições em estabelecimentos públicos ao longo do percurso, seleccione os que pareçam melhores e com mais cuidados de higiene e segurança alimentar, para que tudo ocorra dentro da normalidade sem percalços de última hora.

Todas estas sugestões devem ser adoptadas e conciliadas com uma alimentação saudável nos dias que antecedem a peregrinação e caso precise de apoio na organização do percurso em questões alimentares, poderá consultar um nutricionista, para que possa sugerir e adaptar as refeições à sua realidade específica.

Boa peregrinação, sempre em segurança e com muita energia. 












Teresa Mariano
Email: marianoteresa@gmail.com
Página de Facebook: aqui

Comentários