ÁGUA: DESMISTIFICAR CRENÇAS E (PRE)CONCEITOS


A crescente consciencialização e preocupação com a saúde e bem-estar está a levar cada vez mais pessoas à alteração de hábitos no que à nutrição diz respeito. 

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e procuram manter-se o mais informados possível, dando mais importância aos rótulos e a tudo o que se escreve sobre estes temas.

O problema é que muitas vezes acabam por seguir tendências só porque sim mesmo não sendo o mais correcto.

Hoje, a Drª. Elsa Feliciano (Nutricionista) ajuda a desmistificar algumas questões relacionadas com a água e o seu consumo. 

Ora leiam:

"Atualmente parece estar na moda o consumo de águas alcalinas, alegadamente pela sua influencia na prevenção de algumas doenças. Não posso deixar de referir que não existe evidencia cientifica que o comprove e que as orientações de organismos internacionais de referencia, como a Organização Mundial de Saúde são de que, o pH das águas não é considerado um critério no que toca a benefícios para a saúde mas sim a sua pureza bacteriológica e composição química.




Também do ponto de vista fisiológico, quando comemos ou bebemos, independentemente do pH do alimento ou do seu conteúdo nutricional, este será digerido no estômago, onde a acidez se situa entre 1.5 e 3. Posteriormente voltam a ser alcalinizados ao nível do intestino. Após a sua absorção ou metabolização, alguns nutrientes, como os aminoácidos provenientes das proteínas ou alguns minerais revelam potencial acidificante ou alcalinizante mas o organismo  através dos seus mecanismos de auto-regulação mantém a homeostasia. Podemos afirmar, que a Dieta não consegue alterar a acidez de qualquer parte do corpo, com exceção da urina pois são os rins que têm a função de manter o pH do sangue sempre entre os valores 7.3 e 7.4.

Com a chegada do verão, regressam as preocupações com o consumo de água e ainda bem! As temperaturas elevadas aumentam as perdas do organismo e beber mais água é fundamental para mantermos uma hidratação adequada. A água é essencial para a manutenção da saúde e da beleza.

A desidratação, ainda que ligeira, influencia negativamente vários órgãos, nomeadamente a circulação sanguínea, o funcionamento do intestino e a pele. O corpo humano de um adulto contém cerca de 60% de água, sendo por isso o seu maior constituinte. A água está presente em todas as estruturas e desempenha várias funções muito importantes pois é o meio onde ocorrem todos os processos metabólicos. Dá forma as células, permite o transporte de nutrientes e outras substâncias para as células bem como a eliminação de impurezas resultantes do metabolismo. Também tem um papel fundamental na regulação da temperatura corporal, pois quando transpiramos é a evaporação da água que permite o arrefecimento do corpo.


Nesta época do ano beber pelo menos 1.5l de água e aumentar o consumo de alimentos ricos neste nutriente como os legumes e a fruta podem ajudar quem quer estar bem preparada para a praia. Sendo fundamental para que o corpo funcione perfeitamente, ajuda a ter uma pele saudável e bem hidratada, a controlar a celulite e o seu efeito saciante pode ser importante para quem quer perder peso. O mito de que a água engorda felizmente já foi ultrapassado, podemos ingeri-la a acompanhar as refeições e ao longo do dia, com ou sem sede.


No que toca à escolha da água, todas têm composições químicas diferentes, variando de acordo com a região e o tipo de solos que atravessam. Há águas mais leves outras com uma carga mineral maior, mas o importante é que todas cumprem a sua função principal, hidratar. "

Comentários