INFLAMAÇÃO: COMO TRATAR NATURALMENTE? #2 | POR MARIA JOÃO CHEONG TERAPIAS





No texto da semana passada (ver aqui) abordámos o tema da inflamação e a sua relação com obesidade e inúmeras doenças, algumas delas bastante surpreendentes. Esta semana abordaremos formas naturais de a tratar:

O que provoca ou aumenta a Inflamação?

A lista abaixo indica os alimentos que mais causam inflamação:


1. O “fast food” está no topo da lista devido às substâncias nocivas encontradas como óleo, açúcar, sal, adoçantes artificiais e uma série de outros ingredientes nada naturais; 

2.Gorduras trans e hidrogenadas, encontradas na margarina e banha de porco, por exemplo, também estão no topo da lista. São inúmeros os alimentos encontrados no supermercado que contêm estes ingredientes: pães, bolachas, bolos, etc.; 

3.A carne, principalmente a vermelha, também tende a causar inflamação;
 
4.Os fritos em geral: os óleos vegetais industrializados causam inflamação e aumentam o risco de doenças crónicas; 

5.Açúcar refinado: o açúcar é uma das substâncias mais viciantes que se pode consumir. Além de causar inflamação, pode aumentar seu peso, causar cáries e muitos outros transtornos à saúde; 

6.Adoçantes sintéticos (como sacarina, aspartame): pesquisas relacionam o uso dessas substâncias com muitos problemas graves de saúde; 

7.Aditivos alimentares: corantes, conservantes, intensificadores de sabor, etc. Infelizmente quase todos os alimentos industrializados contêm estes ingredientes altamente tóxicos e nada saudáveis; 

8.Produtos lácteos: além de sua acção inflamatória, os lacticínios estão carregados de hormonas e antibióticos; 

9.Produtos derivados do trigo: este ingrediente é altamente acidificante e inflamatório. Além disso é comum o trigo ser geneticamente modificado e muitas condições graves de saúde estão associadas a este tipo de alimentos; 

10.Glúten: uma substância encontrada em muitos grãos e que causa intolerância em muitas pessoas; 

11.Álcool: intoxica o fígado e entra na lista dos alimentos mais inflamatórios para o corpo. O ideal é eliminá-lo de vez, ou consumir com moderação.

Como se trata a inflamação crónica ou silenciosa?

Tratar as causas da inflamação implica uma mudança no seu estilo de vida - atividade física, alimentação e bem-estar mental.

Fica claro, então, que uma alimentação saudável, rica em alimentos naturais que combatam a inflamação é fundamental. Actividade física diária e sono reparador também reduzem os marcadores de inflamação. Evitar o stress e tratar doenças como a depressão fazem parte da abordagem


Alimentos que combatem a Inflamação:

Os especialistas aconselham que seja adoptada a tradicional dieta mediterrânica, praticada em Portugal, que inclui muitos dos alimentos cujo poder anti-inflamatório está há muito provado, como os vegetais de folha verde, o azeite, os peixes gordos, entre muitos outros.

Tomate 
O consumo do tomate é recomendado por este ser um alimento muito rico em licopeno (entre outros carotenóides como a luteína), antioxidantes (vitaminas do complexo A e B, além de vitamina E e vitamina C), minerais como o fósforo e o potássio, além de ácido fólico, cálcio e frutose. O tomate é considerado como um alimento eficaz na prevenção de alguns tipos de cancro e no fortalecimento do sistema imunológico;

Azeite 
Rico em gorduras monoinsaturadas, o azeite é o "embaixador" da dieta mediterrânica e o seu consumo contribui para a redução do colesterol LDL, o mais nocivo para a saúde. No âmbito da inflamação crónica, o azeite permite bloquear a produção de elementos químicos que induzem processos inflamatórios no organismo;

Vegetais de folha verde-escura 
Muito presente nestes vegetais, a vitamina E é essencial para combater processos inflamatórios. Alguns exemplos de vegetais e folha verde-escura são os espinafres, vários tipos de couve, brócolos que demonstram também concentrações elevadas de vitaminas e minerais como cálcio, ferro e outros fitoquímicos presentes que ajudam a prevenir várias doenças;

Frutos secos 
O grupo de alimentos designado por frutos secos, no qual se incluem as nozes, amêndoas, avelãs, entre outros, caracteriza-se pela abundância de antioxidantes que ajudam o organismo a reparar os danos causados pela inflamação. Por exemplo: as amêndoas são ricas em fibra, cálcio e vitamina E e as nozes contêm ácidos gordos essenciais ómega-3, que reduzem a inflamação;

Peixes gordos 
Salmão, cavala, atum, arenque e sardinhas são alguns exemplos dos peixes mais utilizados na dieta mediterrânica. O seu elevado teor de ácidos gordos essenciais ómega-3 ajuda a reduzir os processos inflamatórios no organismo e o seu consumo deve ser repetido várias vezes durante a semana;

Fruta 
Framboesas, amoras, mirtilos, cerejas, maçãs e laranjas, entre outros frutos, têm um baixo teor de gordura e de calorias e são muito ricos em antioxidantes. Os frutos vermelhos, como as cerejas, amoras ou mirtilos têm uma forte presença de antocianinas, pigmentos que conferem cor e que combatem inflamações crónicas;

Gengibre 
Além de estar associado à prevenção de náuseas e vómitos, está também provado que a ingestão de gengibre permite reduzir os níveis de inflamação, seja ela aguda ou crónica, como no caso da artrite reumatóide, por exemplo. O gingerol é uma das substâncias activas presentes no gengibre com acções benéficas para o organismo, sendo antioxidante e anti-inflamatório.



Atenção!
A adopção de alimentos com propriedades anti-inflamatórias não dispensa a consulta de um médico perante a persistência dos sintomas.







Maria João Cheong_Terapias
Consultas e Tratamentos – Terapias Alternativas
966523144

Comentários