O HOMEM DO GIZ DE CJ TUDOR

Este livro entrou-me casa adentro pela ... televisão por assim dizer; tanto aparato televisivo na publicação de um livro não é comum, o que me deixou no mínimo curiosa. Assim sendo, toca de ir ao meu telemóvel e adquirir o dito para poder também participar da aparente excitação mediática à volta dele (sim, sou infantil e não gosto de estar de parte na festa 😜). Sabem que mais? É merecida!!! 
Para minha surpresa, a autora é nova no ofício, já fez muita coisa na vida e esta foi apenas uma ideia que lhe surgiu e que ela decidiu pôr no papel! Os acontecimentos do dia a dia são normalmente a base para uma boa história para quem a saiba contar, essa é que é a verdade. E ela soube! A história é contada de forma fluída, intrigante e envolvente. Confesso-vos que sou uma leitora ávida mas este livro não foi lido foi devorado!


O que mais me impressionou no livro foi a facilidade com que acontecimentos do passado são interligados com o presente da história. Ao contrário do que se possa pensar não nos perdemos e vamos acrescentando peças do puzzle. O enredo vai crescendo até um final surpreendente e pouco previsível. 

Vale a pena ler!


Sobre a autora
Adicionar legenda
C. J. Tudor nasceu em Salisbury e cresceu em Nottingham, onde ainda mora com seu parceiro e filha. O seu amor pela escrita, especialmente o escuro e o macabro, começou jovem. Enquanto os seus colegas liam Judy Blume, ela devorava Stephen King e James Herbert.

Ao longo dos anos, teve vários trabalho, incluindo repórter estagiária, empregada de mesa, assistente de loja, locução, apresentadora de televisão, guionista, redatora e agora autora. "The Chalk Man" é o seu primeiro livro e consta que está já na calha para uma adaptação ao grande ecrã. 


Comentários