HISTÓRIAS DE UMA SEDENTÁRIA | POR SÓNIA SANTANA

Sou toda pelo exercício físico, mas sou também muito preguiçosa. Reconheço todas as vantagens do mesmo mas na minha vida pessoal sou anárquica e indisciplinada. E depois sofro as consequências físicas, emocionais e mentais. De há uns meses para cá, e após anos de sedentarismo, voltei a mexer-me mas até chegar ao ponto onde me encontro foram uns meses algo desesperantes de descoberta pessoal e interior que gostava de partilhar convosco.
Algumas de vós conhecem o meu percurso. Já fui uma fanática de ginásio, daquelas que chega à abertura do mesmo todos os dias da semana, e lá fica a exercitar-se pelo menos hora e meia e depois segue para o trabalho. A vida interpôs-se e deixei de conseguir manter esse ritmo, aliás deixei de o ter sequer. Deixei de fazer ginásio, caminhadas ou mexer-me além da correria típica do dia a dia. Abençoada genética porque de facto sempre consegui manter um ar saudável ... mas só o ar... 

Há uns meses atrás apercebi-me que precisava de retomar um qualquer exercício físico porque já não me sentia bem comigo própria, não gostava de me ver ao espelho nem nas roupas. As minhas hérnias cervicais deram o ar da sua graça por falta de sustentação muscular, desenvolvi um quisto de baker num joelho lesionado num acidente, para adormecer era um drama. 
Não estava  obesa (sou o típico falsa magra) mas para quem como eu sempre se habituou a ter um corpo tonificado, a sensação de ser um "pudim andante" não me deixava confortável. 

E assim tentei voltar ao ginásio, algo que sempre associei a uma sensação de boa disposição. Meninas, foi uma descida aos infernos mais profundos! Só me recordava de um video da Bumba na Fofinha sobre o tema ... e a única coisa que me fez não desistir da ideia de voltar a sentir-me bem no meu corpo foram as aulas de ...Pilates.

Estas aulas em particular foram dadas pela Cláudia Gomes (que já escreveu aqui no Blog) uma Personal Trainer com um profissionalismo, paciência e boa disposição que me elevavam a moral sempre que lá ia. A verdade é que eu em tanto anos de ginásio, já tinha experimentado muitas aulas (com excepção daquelas violentas tipo "Spinning" que isso definitivamente não é para mim) mas nunca tinha feito Pilates, nem sei porquê. Não era por ter alguma ideia pré-concebida ...simplesmente nem sabia bem o que iria fazer. 

E afinal o que é que o Pilates teve que os outros não tiveram como condão para me voltar a querer mexer? Pequenas coisas que fizeram toda a diferença:
  • Melhorou a minha postura corporal
  • Melhorou a minha mobilidade nas articulações
  • Aliviou substancialmente as dores nas costas
  • Belas noites de sono
  • Aumentou a minha flexibilidade muscular
  • Adquiri consciência corporal
  • Melhorias visíveis na minha concentração e respiração
  • Voltei a ter força e resistência muscular ... 
  • Sérias melhorias na minha coordenação motora
  • Diminuiu as dores no corpo causadas pela rigidez muscular entretanto instalada
  • O stress que sentia diminuiu
  • Posso praticar em casa em qualquer altura sem correrias para cumprir horários de ginásio. O conceito aplica-se em qualquer lugar sem praticamente nenhuns acessórios. 
Se continuo a fazer aulas de Pilates? Não, o Pilates foi o meu ponto de partida para outra actividade que retomei ao fim de anos ... o Yoga. Mas sobre o Yoga vos falarei noutro dia. 

Por isso, se querem uma sugestão, vocês que estão paradas e não sabem como retomar actividade ... experimentem fazer uma aula de Pilates para terem consciência do que se passa no vosso corpo e como o melhorar, acreditem que não se vão arrepender. 

Sónia Santana
welcome@justwoman.pt

Comentários